04 de julho, 2017

Problemas de relacionamento entre irmãos

blog3

Olá, mamães. Como estão hoje?

Às vezes você tem a sensação de que os seus filhos nunca serão unidos? Calma, amores, que as brigas entre irmãos são bastante comuns. Obviamente, que se não forem bem administradas, podem se tornar um problemão a longo prazo.

Apesar de parecer assustadora, a situação é muito mais simples de ser contornada do que você imagina. Por isso, separamos algumas dicas para quem é mãe de dois pimpolhos que estão, praticamente, botando a casa à baixo.

 

  • Seja paciente – Paciência nessas situações é um fator determinante para lidar com o problema. Não coloque a sua ansiedade acima de tudo.
  • Imparcialidade – Pode ser que um filho tenha um gênio mais fácil de lidar que o outro, mas não demonstre favoritismo. Trate os dois da mesma forma.
  • Diálogo – Nada de agressão. A comunicação é fundamental para amenizar os conflitos entre os irmãos. Por exemplo: deixe claro para o mais velho que ele é um aliado, que a presença dele é fundamental para o mais novo. Só cuidado para não fazer dele uma babá. Inclua ele nas rotinas, mas sem forçar a barra.
  • Nada de comparações – Cada criança possui a sua individualidade, seu jeitinho de ser. Não menospreze um perante o outro. Entenda as diferenças. Cultuar a disputa dentro de casa pode fazer com que as brigas se estendam para a vida adulta.
  • Regras / Justiça – Regras são fundamentais para criar um ambiente harmônico dentro de casa. Por isso, o que vale para um, vale para todos. Não seja seletiva. Seja justa.
  • Procure um psicólogo – Ajuda nunca é demais. Se você acha que a situação está insustentável e que não consegue mais lidar com ela sozinha, procure um profissional. Ele, com certeza, terá as melhores orientações para o seu caso.

Viram só como, às vezes o problema não é tão complicado quanto parece?
Esperamos que estas dicas possam auxiliar vocês de alguma forma.
Beijos e até a próxima!


09 de junho, 2017

Os aplicativos que toda mãe deve ter

Olá, mamães. Como estão hoje?

Nós vamos dar algumas dicas de aplicativos que toda mãe conectada deve ter (no tablet ou celular) e que vão ajudar muito na hora de cuidar da pequena. Afinal, são tantas tarefas que precisam ser administradas que uma mãozinha da tecnologia nessas horas é muito bem-vinda, né?

PI-Blog-1

Caixa de Remédios

Dificuldade em administrar os horários do remédio da pequena? Então, este é o aplicativo perfeito. Disponível para Android e iOS, o organizador emite alertas no horário certo.
É possível cadastrar mais de uma opção e, ainda, saber onde encontrar o produto e quais são seus componentes.

Meu Carrinho

Organizar a lista de supermercados de cabeça não é uma tarefa fácil. Nós temos certeza que, mais de uma vez, vocês esqueceram de comprar algo extremamente importante porque não lembrou. Com o meu carrinho, é possível organizar por categoria de alimentos. Este também é disponível para Android e iOS.

Mamabear

Em tempos de redes sociais é importante ficar de olho nas crianças. O aplicativo permite monitorar a reputação social da pequena nas redes sociais e ficar de olho com quem ela interage. Disponível para Android e iOS.

Bom mamães, esperamos que esses três aplicativos possam facilitar a vida de vocês, para que fiquem ainda mais tempo com suas pequenas.

Beijos e nos vemos na próxima.


22 de maio, 2017

Minha filha não quer ir mais para a escola. E agora?

Blog1

Pode ter certeza: se você ainda não passou por isso, vai passar. Em alguma fase da sua vida, mãe, você terá que lidar com esta situação.  Mas já adiantamos que tudo na vida tem solução. Inclusive a falta de vontade da sua filha de ir à escola.

A sua primeira medida é sempre iniciar uma conversa com a pequena. Tente entender se ela tem algum problema com professores ou amiguinhos da escola. Mesmo pequenas, as crianças podem sofrem algum tipo de bullying que faça com que ela queira fugir da situação.

Caso a criança não conte nada e, ainda sim, insista em não ir para o colégio, marque uma reunião com o professor responsável. Faça uma análise da rotina da sua filha, se ele percebeu algum comportamento estranho no ambiente escolar.

Se a situação se estender por tempo demais, procurar a ajuda de um psicólogo, alguém que instigue a criança a se abrir, é uma excelente alternativa. O profissional tem todo o preparo para lidar e resolver a situação.


19 de abril, 2017

Tecnologia x crianças: como administrar?

Hoje nós vamos falar sobre um assunto que preocupa muito as mães: o uso de aparelhos tecnológicos pelas crianças. Você deve ter uma coisa sempre em mente, mamãe: a tecnologia faz parte das nossas vidas e não conseguiremos bani-las de vez da vida da pequena. E nem devemos.
Desde que sejam utilizados de maneira ponderada e consciente, estes aparelhos podem trazer benefícios para a educação e desenvolvimento, mas para chegar neste ponto precisamos ficar por dentro de alguns fatores relevantes.

Os celulares costumam ser a ferramenta mais utilizada pelas crianças. Os próprios pais acabam presenteando os filhos com smartphones como uma forma de controlá-los. No Brasil, estudos apontam que 82% da população entre 9 e 17 anos usa celular. Muito, né?

Mas como ponderar a idade correta de deixar minha filha ter contato com celulares, tablets e computadores? Se esta foi a sua pergunta, mamãe, fique tranquila! Veja alguns passos de como administrar a tecnologia na vida da pequena.

 

1- Olho na idade

Outdoor portrait of positive kids playing with phones

Especialistas asseguram que  uma criança com menos de 10 anos não tem maturidade para usar estes equipamentos. Além deste fator, especialistas nacionais não recomendam que crianças com menos de 6 meses de vida sejam expostas à luminosidade das telas de LED, alegando que elas são prejudiciais ao desenvolvimento dos bebês.

 

2- Sirva de exemplo

Mother and daughter playing with tablet

Pode apostar: sua filha fará tudo o que você fizer. Por isso, controle-se. Evite o uso excessivo de aparelhos perto de sua pequena.

 

3- Regras são sempre necessárias

Mother and daughter quarrel because of overuse the tablet phone (computer, tablet, etc.). Social problem between parents and children. Studio shot.

É fundamental estipular regras de uso. Liberar o uso moderado (cerca de uma hora por dia para meninas até 12 anos) depois que a pequena realizar as tarefas escolares ou outras obrigações que fazem parte da rotina familiar.

Esperamos que o artigo de hoje tenha ajudado você a administrar esta situação na sua casa.
Até o próximo assunto, mamãe!


31 de março, 2017

Com qual idade minha filha pode comer chocolate?

 

Happy easter! Mother and daughter begin to hunt for Easter eggs. Happy family preparing for Easter. Cute little child girl wearing bunny ears on Easter day.

Olá mamãe, como vai?

 

Falta um tempinho para a Páscoa, mas os supermercados já estão preparadíssimos para a data mais doce do ano, e as crianças ficam enlouquecidas com tantas opções penduradas pelos corredores.

 

Por mais que seja irresistível negar um pedido cheio de carinho das pequenas, você deve se lembrar que é importante evitar o chocolate para crianças com menos de três anos. Os chocolates industrializados são alimentos extremamente ricos em gorduras e açúcares e extremamente calóricos. O consumo excessivo de chocolate pode levar à obesidade e outros males, como aumento da pressão arterial, elevação da taxa de glicose e diabetes tipo 2.

 

Se a sua pequena está acima dos 3 anos, o consumo deve ser extremamente controlado. Embora não exista um consenso sobre a quantidade ideal, muitos pediatras indicam de um a dois quadradinhos de chocolate meio amargo por dia.

 

O chocolate meio amargo possui mais cacau em sua composição, muito pouco açúcar e mais substâncias antioxidantes importantíssimas para o organismo. Parece uma missão impossível de ser realizada, mas é mais simples do que você imagina.

A criança só sente vontade de comer coisas que estão acessíveis. Se você consumir chocolate perto da pequena, ela também vai querer. Por isso, aí vai nossa dica para as mães chocólatras: coma longe dela. Desta forma, é mais fácil entender que o chocolate não faz parte da alimentação diária, mas de momentos especiais.

 

Esperamos ter ajudado você a como controlar o consumo de chocolate.

Até a próxima.